A minha jornada de cura

A minha jornada em direção à cura começou quando aos 30 anos foi-me diagnosticada uma doença que seria simples de curar com operação e tratamentos médicos, mas não foi – um mioma no utero. As coisas complicaram-se, passei meses em hospitais e médicos, as operações e tratamentos não resultaram em nada. E então aos poucos, fui-me abrindo para uma nova forma de encarar a doença, como se o meu corpo me quisesse despertar para uma nova forma de estar na vida. Uma forma mais consciente de viver.

E assim foi – comecei a ouvir os susurros do meu corpo – ‘torna-te vegetariana’, disse-me; ‘descansa mais’, ‘não bebas tanto álcool’; ‘deixa lá o que as pessoas pensam sobre ti’; ‘sê mais gentil contigo e com o mundo’; ‘chora, mostra-te; tens feridas dentro de ti, vamos curá-las’. ‘Deixa de fumar’, ‘deixa a tua cidade natal, vai estudar yoga para longe daqui’; ‘deixa o o teu círculo de amigos fieis e familia e vai-te aventurar por Portugal, descobrir novas formas de vida, descobrir uma Ilanta que ainda não conheces mas que habita dentro de ti’.

Se não fosse esse despertar, teria ainda agora o mesmo tipo de vida de então, que não me estava a levar a nenhum lugar de real felicidade; era tudo falso, embora exteriormente tudo parecesse bonito, fácil e interessante.

Ao acordar da minha terceira operação cirúrgica senti uma presença que nunca me tinha dado conta – agora percebo melhor – o divino falou-me, a minha sabedoria interior, o meu divino interior. Uma paz profunda, inabalável, incontornável, apoderou-se de mim. Este sentimento de paz mudou-me para sempre.

A minha saúde melhorou e então experimentei muitas coisas e aprofundei antigas paixões – aromaterapia, yoga, plantas e dietas saudáveis, detoxs e reconexão com a energia universal. Comecei a trabalhar e a ser guiada por um mestre espiritual que, tendo alcançado a liberdade e iluminação a que eu aspirava, me conduz até hoje, passo a passo, para uma vida mais consciente, mais harmoniosa, mais real e com mais alegria.

Saí do país , viajei e vivi em muitos locais diferentes, na Europa, em comunidades, com amigos, com namorados, em ashrams. Aprofundei a minha paixão pela limpeza do corpo, mente, emoções e espírito. Sempre guiada pelo meu mestre exterior e o meu mestre interior, a minha sabedoria inata.

Fiz mais de 20 retiros de jejum e meditação, 3 dos quais de 40 dias cada. Aprendi imenso sobre dietas detox, ervas, limpeza a todos os níveis, os bloqueios que temos a essa limpeza, e ferramentas de como ultrapassar estes bloqueios.

À medida que aprofundava o meu conhecimento do meu corpo, formei uma empresa de superfoods na Suíça, uma das primeiras na Europa, que ainda hoje existe, mas da qual já não sou proprietária.

Sempre quis fazer parte da nova geração de entrepeneurs que ligam o coração, a dedicação e o serviço à humanidade, ao empreendorismo – é o chamado sacred commerce; também aprendi muito sobre superfoods, plantas, suplementos, assim como o que é criar e manter uma empresa feita com a energia do coração.

Ao longo dos anos e com a experiência acumulada, muitas outras doenças se foram revelando, à medida que o meu corpo desintoxicava. Aprendi muito com o meu próprio corpo, que considero ser uma espécie de laboratório experimental 🙂

E pessoas à minha volta e clientes da empresa começaram a pedir conselhos. E eu partilhei o que sabia, sem hesitação.

Aos 40 e poucos anos, a vida deu uma volta extraordinária. O corpo falhou. Os músculos perderam força, não conseguia andar, por vezes nem tomar banho, ou cortar legumes para fazer a minha própria comida. As dores de cabeça eram agozinantes, perdia muitas vezes a noção de tempo e espaço, esquecia-me de tantas coisas, o cérebro não funcionava como estava habituada. Tremores, formigueiros, entorpecimento nos braços, na cabeça e depois por todo o corpo, que duravam horas e até dias seguidos. Não conseguia digerir a comida e comecei a ter dores incriveis na barriga. A visão deteorou-se, doiam me os olhos, com extrema sensibilidade à luz, não conseguia olhar para o computador. Deixei de poder funcionar normalmente. O cansaço fisico era extremo e não conseguia dormir durante a noite. Era como se algo se tivesse apoderado do meu corpo e começado a destruir tudo. Os sintomas a uma certa altura eram mais de 40; cada dia apareciam mais problemas. E não havia respostas para o que eu tinha. Consultei os melhores medicos da Suíça, e nada me foi explicado, no entanto o corpo deteriorava-se dia apos dia, e o desespero, angustia e medo cresciam. O que tinha eu? O que fazer para parar esta doença?

Embora cansada, em pânico e exausta com o medo e a dores agonizantes, as noites sem dormir, a incapacidade de mexer o corpo, de comer, de usar os olhos para ler, e de ter sensibilidades extremas a tudo o que me rodeava, procurei soluções, investiguei exaustivamente por respostas, dentro e fora de mim. Usei os conhecimentos que tinha adquirido nos ultimos 15 anos e investiguei mais, fui mais fundo. E descansei, descansei muito. Parei. Ouvi mais uma vez o meu corpo, a minha alma. Uma voz sábia vinha de uma profundeza tão grande que eu mal conseguia ouvir e a voz do medo falava quase sempre mais alto. Mas a minha força interior, os meus guias externos e internos, estavam lá, e eu não desisti e as respostas foram aparecendo.

Parece que tinha o que se chama em termos médicos, uma doença mistério, ou seja, uma doença em que não há respostas por parte da ciencia médica, neste momento. Aliás, tinha sintomas de várias doenças mistério. Milhares de pessoas tem o mesmo – doenças como fadiga crónica, esclerose multipla, tiroidismo, lyme disease, colite, fibromialgia, entre outras – doenças com nomes médicos mas neste momento ainda sem cura, pelo menos na medicina tradicional e complementar.

Mas aos poucos, lá fui descobrindo as verdadeiras razões porque o meu corpo desmonorou e manifestou tantas doenças num tão curto espaco de tempo… e ouvindo a sabedoria interna e externa, o meu corpo foi curando e eu fui descobrindo uma mapa de saúde que se estava a delinear a cada passo que dava, sem eu perceber na totalidade a complexidade e ao mesmo tempo simplicidade deste mapa.

3 anos após os sintomas e diagnósticos iniciais eu pensei que tinha tudo sobre controle e tinha certeza que a cura estava próxima … mas outra coisa aconteceu – um nervo nas minhas costas que tinha sido ferido no nascimento (responsável pelo movimento do meu braço direito) , foi danificado novamente e fiquei semi paralisada naquele braço. Essa foi a parte mais difícil de toda a jornada. As limitações do corpo eram tantas que eu não pude lidar com a situação sozinha e precisei de ajuda externa para fazer as coisas mais simples do dia a dia.

Com humildade,  entendi o quão pouco eu sei sobre o meu corpo e saúde em geral. E eu estava zangada comigo mesmo – por que eu não vi que isto iria acontecer? Por que não tratei o corpo com mais gentileza? Tantas perguntas surgiram e muita raiva contra mim mesma – e muito mais purificação a ser feita. E assim continuei o processo de aprendizagem de cuidar bem de mim mesma, com gentileza, e aceitando os erros percebidos do passado (meus e dos outros) e encontrando a força e a curiosidade para avançar e encontrar equilíbrio no corpo.

E hoje, 6 anos após o início dos sintomas, e embora não totalmente curada, sei que a cura é possível, a liberdade é possível, e estou mais preparada para lidar com sintomas físicos que podem não ser tão agradáveis. A jornada de cura é longa (no meu caso) e nenhum julgamento deveria ser feito – é o que é; saúde e doença, assim como muitas outras coisas na vida, ainda são um mistério para muitos de nós (pelo menos para mim!) Mas o que eu sei é que reuni muitas ferramentas e orientações de como ajudar o corpo a prevenir doenças e a atravessar uma doença a longo prazo graciosamente. E assim é possível que o corpo recupere seu estado natural de equilíbrio, harmonia e alegria.

Sei que as doenças podem ser chamamentos para nos tornarmos mais reais, para vivermos uma vida mais satisfatoria, com mais amor, felicidade e alegria. As respostas estão dentro de nós e com algumas ferramentas externas, podemos nos tornar mais recetivos a ouvir essas respostas internas. O que comemos, o nosso estilo de vida e a nossa atitude perante a vida, altera imenso a nossa quimica biologica, ajudando ou não, o corpo a curar-se.

Num mundo de constante mudança e stress, se conseguirmos manter uma relação saudável com o nosso corpo e manter habitos saudáveis, é mais fácil aprofundarmos a nossa conexão com a fonte inesgotável de alegria, saúde e inspiracão que reside dentro de nós.

Para marcar uma sessão comigo, por favor vá à página TRABALHE COMIGO. Estou à sua inteira disposição.